quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Tragédia do Colúmbia



Space Shuttle


 29 Shevat do ano 5763 da era judaica - 01 Fevereiro de 2003


Assinala-se hoje, dia 29 de Shevat de 5774, e amanhã, pelo calendário gregoriano (1 de Fevereiro de 2014), onze anos após a tragédia que se abateu sob a nave espacial Space Shuttle, provocando a morte aos seus 7 tripulantes. 




Apesar de respeitar e estar aqui a relembrar este dia por todos os tripulantes, desejo aqui destacar em especial um deles por motivos evidentes , o Ilan Ramon, (1º astronauta israelita).



Ilan Ramon


Na manhã do dia 1 de Fevereiro de 2003, o Colúmbia Space Shuttle, retornando de sua missão STS-107, foi destruído ao reentrar na atmosfera, 16 minutos antes do pouso programado. Todos os membros da tripulação morreram, incluindo Ilan Ramon, um piloto de combate da Força Aérea de Israel, que era o primeiro astronauta israelita. Antes de sua partida para o espaço na nave Colúmbia onde sua missão incluía o manejo de uma câmara multi-espectral para registo aéreo do deserto, ele teve a preocupação de levar comida casher assim como um copo de Kidush e uma cópia da Torá.

Mas Ilan não se preocupou apenas com a sua alimentação e bem-estar espiritual, ele foi mais longe e pediu algo mais:

Antes do voo, Ramon entrou em contacto com o Museu Yad Vashem e pediu para levar com ele um objecto relacionado com o Holocausto, a fim de fazer uma homenagem às suas vítimas, entre as quais a sua própria mãe.


Foi-lhe dado um desenho, Moonscape, por Petr Ginz, no qual a Terra era mostrada como se fosse vista da Lua. Os televisores transmitiram este desenho nas semanas seguintes à tragédia.



Moonscape, por Petr Ginz


Ilan Ramon nasceu a 20 de Junho de 1954, em Ramat Gan, e foi o primeiro astronauta israelita. Morreu junto com outros seis tripulantes a bordo da nave Colúmbia.




Bacharel em electrónica e engenharia de computadores pela Universidade de Tel Aviv, Ramon foi um dos melhores pilotos militares de Israel, com experiência em diversos tipos de caças de combate e interceptação, como os Mirage III e os F-16 Falcon - tendo combatido na Guerra do Yom Kippur, com apenas 19 anos (1973) - e participante do esquadrão de caças-bombardeiros que destruiu a usina nuclear de Osiraq, no Iraque, em 1981 na chamada Operação Ópera.



Em 1997, então coronel da Força Aérea Israelita, integrou-se à NASA na função de especialista em cargas, e fez seu primeiro voo ao espaço na fatídica missão STS-107 da nave espacial Colúmbia morrendo com os outros seis tripulantes, após 16 dias em órbita.




Foi condecorado postumamente com a Medalha Espacial de Honra do Congresso dos Estados Unidos e é oficialmente reconhecido como Herói Nacional de Israel. Esta medalha é entregue, neste ano e pela primeira vez a um cidadão não americano.


O seu filho mais velho, o tenente Asaf Ramon, de 21 anos, morreu em 13 de Setembro 2009, durante um voo de treino quando pilotava um caça F-16A, 3 meses depois de se graduar na academia de voo da aeronáutica israelita como melhor cadete de sua classe.



Aqui, na foto que se segue, o administrador Bolden e o embaixador Shapiro a visitar os túmulos de de Ilan e Asaf Ramon no Cemitério Naalal.



Que descansem todos em paz, não só pai e filho, mas também 
todos os outros 6 elementos deste fatídico voo.



Fontes: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário