quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Parashah desta semana...



Ki-Tisa


Pintura de Myriam Jawerbaum - Ki-Tisa


Dom Abarbanel usa as palavras Grande e Profunda ao referir-se à parsha desta semana.


Com a descrição do pecado do bezerro sagrado e com os eventos à sua volta  nesta parsha, existem de facto muitas, grandes e profundas lições a ter em conta.


James Tissot - The Golden Calf

No final da parsha (Capítulo 34) a Torá começa a enumerar uma lista de mandamentos que cabe ao nosso povo cumprir.


Lista de Mandamentos

Ao examinar estes Mitzvot, Dom Abarbanel pergunta. “Muitos destes mandamentos parece que já nos foram dados anteriormente. Porque é que a Torá decidiu apresentar aqui esta lista de mandamentos quando é certo que já os conhecemos bem?”

A resposta, diz Dom Abarbanel, reside no contexto da nossa parsha. Depois do pecado do bezerro sagrado e de termos caído em nós sobre a enormidade do erro cometido, as pessoas procuravam um modo de expressar o quanto lamentavam o sucedido.


Como é que poderíamos corrigir o pior erro alguma vez cometido na nossa história? Qual é a abordagem adequada para lidar com uma situação tão delicada e terrível?


Isto, diz Dom Abarbanel, é a razão para esta lista de mandamentos aqui aparecer. D-us está a dizer-nos que com Teshuva, com o retorno à nossa ligação com Ele, não precisamos de ideias revolucionárias mas sim de um regresso aos termos básicos da relação.



Não servir ídolos, observar o Shabat e os Dias Santos, são os fundamentos do Judaísmo, tais como são os instrumentos para renovar a ligação com D-us.



Talvez isto possa ser uma lição para todos nós. Numa escala bem menor, todos nós fazemos disparates e todos nós precisamos de os corrigir. Em vez de procurarmos algo novo e diferente,  o retorno ao fulcro central da nossa essência é o caminho a seguir. 


Uma lição “grande” e “profunda” sem dúvida.


Cortesia de
Rabino Eli Rosenfeld
 
Shabat Shalom!
chabadportugal.com


Fotos:

3 comentários:

  1. O Rabino Eli tem sempre uma excelente forma de nos explicar e de nos fazer entender algo que à partida nos parece bem mais complicado e que na verdade; somos nós que complicamos. :) Shabat Shalom!

    ResponderExcluir
  2. Realmente! o rabino foi objetivo e exato na sua colocação devemos voltar aos primórdios da relação com Deus.
    Como se nosso coração fosse circuncidado pela verdade de Deus e não há lugar e nem espaço para que algo ocupe o lugar "DELE" em nossas vidas!
    Ziva,post muito bom e esclarecedor!

    ResponderExcluir