quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O Artista Aristide Brodeschi.





(Foto de Aristide a receber o titulo de cidadão honorário)


O Artista Plástico desenvolve trabalhos em diversas técnicas como pintura (óleo e acrílico), gravura em metal, litografia, xilogravura, desenho, aquarela e tapeçaria.




Pintor, desenhador, gravador, tapeceiro e arquitecto. Após sua graduação como arquitecto, na Faculdade de Arquitectura de Bucareste/ Roménia, em 1970, desenvolve projectos para complexos industriais na área de electrónica e electrotécnica. Entre 1976 e 1978 reside em Israel, onde trabalha com projectos arquitectónicos e paisagísticos para a cidade de Jerusalém.

Na década de 1980 abandona a arquitectura, dedicando-se às pesquisas nas áreas de tapeçaria, gravura e pintura.



Nas suas primeiras experiências em arte-têxtil, embora presas aos processos tradicionais, já denotam sua ligação com a natureza. Sem abandonar a preocupação ecológica, a partir de pesquisas feitas com tear de pente evolui para a tapeçaria-objecto ou tapeçaria-escultura – servindo-se das cores naturais dos materiais. Começam, assim, a surgir objectos tridimensionais, que sugerem entrelaçamento de raízes e troncos, vegetais e animais. Abandonando a visão europeia, procura criar com “olhos novos” a tecelagem indígena e o habitat de sua terra de adopção. 





Na pintura, evolui de uma visão pós-impressionista para o pós-fauvismo. Sem abrir mão da figuração lírica, a sua temática concentra-se na lúdica infantil. Inspirando-se no quotidiano de seus filhos, as suas personagens principais são crianças correndo, andando de bicicleta, dançando ou em múltiplas brincadeiras em parques de diversão. 



Inicialmente a sua obra caracteriza-se pelo toque solto e a densidade da pincelada tipicamente impressionista.


Em 1987, em individual na Galeria do Inter, passa a tratar a tela mediante massas vibrantes de cores e luzes. No mesmo ano, na Mostra Parcerias, já se observa uma profunda modificação no seu trabalho, que se aproxima de um pós-fauvismo que nada tem a ver com os Nouveaux Fauves alemães, americanos e franceses dos anos 1980.



A escolha das obras foi feita por mim, que escolhi as que mais gosto e que não segue com rigor o percurso deste artista. J


Retoma o grafismo – instrumento essencial do arquitecto – mas fá-lo com uma liberdade extrema. A linha negra, na realidade, acentua a vibração das cores.
Na exposição Jogos de Espelhos, promovida pela PUCPR em 1991, adoptando a temática crianças que brincam em parques de diversões e selecciona a Série de Carrosséis. 







 Embora se perceba por trás da planificação segura do espaço a mão do arquitecto, sente-se também o poeta que, por meio das cores e da maneira sui generis de compor este mesmo espaço, é capaz de transformá-lo em magia. Além da forma circular predominante, percebe-se nessas composições, uma nítida tendência ao triangular. As cores e os toques vibrantes materializam os sons dos parques de diversões e os estímulos visuais que as crianças recebem pela TV. 

Esta vibração é acentuada mediante o jogo feérico dos espelhos no centro dos carrosséis. Em seus reflexos mágicos estão presentes não só a dinâmica das próprias brincadeiras, a sucessão rápida das imagens que constantemente se metamorfoseiam, mas também o símbolo da alegria solar da infância, capaz de triunfar não só contra a cega sociedade de consumo como também contra a ameaça de destruição que paira sobre a humanidade na era pós-nuclear. 




 


Na área da pintura mural, uma de suas experiências mais significativas é o mural alusivo ao Centenário da Imigração Judaica, instalado no salão nobre do Centro Israelita do Paraná,em 1990. Nele, o artista inspira-se na Série de Navios Imigrantes de Lasar Segall, para narrar a saga dos judeus vindos ao Brasil. Em sua leitura da travessia, incorpora elementos do paranismo, transformando a imagem dos candelabros judaicos em pinheirais. 


No conjunto da sua obra, Aristide Brodeschi é um artista que tem um amplo domínio do vocabulário pictórico, capaz de criar um clima ao mesmo tempo dinâmico e poético.






Aristide Brodeschi
deseja-vos:

Shabat Shalom! 

Fonte:
Aristide Brodeschi

Ver mais:




Nenhum comentário:

Postar um comentário