terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Curiosidades Judaicas | Borba, Alentejo.




BORBA


Cidade portuguesa no Alentejo, com 4.500 habitantes.





No contexto da Reconquista cristã da península, Borba foi tomada por D. Afonso II aos Mouros em 1217. Para o seu povoamento e defesa, o soberano doou estes domínios à Ordem de São Bento de Avis, determinando a construção do castelo.




Compreendida no território lindeiro disputado com Castela, sob o reinado de D. Dinis (1279-1325), Borba passou de vez para a posse de Portugal em virtude da assinatura do Tratado de Alcanises (1297). Devido à sua importância estratégica, este soberano concedeu-lhe foral (1302), época em que lhe ordenou o reforço das defesas (foral confirmado no séc. XVI por D. Manuel I).

O crescimento da vila nos séculos XIV e XV, proporcionado pela feira franca e pelo comércio de capitais e produtos, atraiu uma comunidade de Judeus. Esta comunidade era constituída por indivíduos que se instalou no centro urbano, vivendo do câmbio, do empréstimo a juros e dos ofícios, tal como sapateiros, ferreiros, correeiros, oleiros, etc., distinguindo-se assim da maioria da população cristã que se dedicava à agricultura. Sobre a comunidade judaica de Borba pouco ou nada se sabe para além da sua existência documentada.

A localização da judiaria surge, à luz dos dados actualmente conhecidos, bastante problemática. Partindo do pressuposto que a comunidade judaica se instalou após o século XIV atraída pelo comércio proporcionado pela feira franca então é aceitável que a Judiaria de Borba estaria fora do perímetro urbano da época. Esta hipótese é atestada por um documento datado de Agosto de 1448 em que se apreenderam:


"as casas de morada do dicto Judas Pemço e de Samuel Pemço seu padre e fiador aas dictas sysas quessom no arravalde da dicta villa de Borba na judiaria que foram avalhadas em dous mill rreaaesbramcos".


Isto permitira localizar a judiaria no arrabalde da vila e fora do perímetro urbano da época. Porém um outro documento, datado de Setembro de 1442, localiza a Judiaria de Borba junto de uma porta da muralha:


 

"huumas casas na Judiariade Borba, jumto com a Porta, de Samuell Peemço, em dous mill rreaees".




Assim sendo, seguindo o modelo da Judiaria de Portel, a Judiaria de Borba situar-se-ia no lado oposto à malha urbana que se desenvolveu em direcção a Estremoz, ou seja, junto do alçado Sudeste da muralha. 


Nesse lado existia um único arruamento, a Estrada de Vila Viçosa, próxima da actual Rua de São Sebastião, denominada desta forma devido à Ermida com a mesma evocação construída no século XVII (chamada "das Flores" antes da construção da referida ermida). Este seria o local da judiaria.



A Judiaria de Borba foi abandonada no século XVI e arrasada no XVIII com o plano urbanístico da vila que reformou o seu lado oriental.


A existência da Sinagoga de Borba é referida no século XV, nas confiscações que D. Afonso V fez aos Judeus para pagar as suas dívidas e na doação, datada de Fevereiro de 1482, feita a Gomes de Figueiredo dos direitos reais da Judiaria de Borba.


Fontes:

http://questomjudaica.blogspot.com.es/2013/11/borba.html
http://www.visitalentejo.pt/en/alentejo/experience/serra-d-ossa-and-the-zone-of-marble/
http://retratosdeportugal.blogspot.pt/2011/09/borba-porta-de-estremoz-e-muralhas-do.html
http://www.igogo.pt/igreja-de-sao-sebastiao-3/
http://www.portugalio.com/borba/rua-sao-francisco/
http://www.cmborba.pt/pt/conteudos/o%20concelho/historia/muralhas%20do%20castelo/muralhas%20castelo.htm
http://www.visitalentejo.pt/pt/catalogo/o-que-fazer/museus-e-locais-a-visitar/castelo-de-borba/
http://castelosdeportugal.com.sapo.pt/castelos/borba.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário