domingo, 28 de outubro de 2012

Dali, os judeus, o judaísmo e o sionismo.



 

A partir de meados dos anos sessenta, Dali criou uma série de trabalhos individuais com os quais chegou mesmo a ser chamado "judeu" por causa da sua arte. A maioria desses trabalhos foram reunidos por Jean Paul Delcourt numa exposição intitulada "Shalom Dali", que foi exibida no Centro de Artes Performáticas, na residência do presidente, em Jerusalém, Israel em Junho de 2002 e depois em Rishon Le-Zion, em Israel de Setembro até Outubro de 2002.

Surge a pergunta: Qual o significado destas obras judaicas para Dali? Será que ele tinha alguma simpatia pelos judeus e a cultura judaica, ou este trabalho foi apenas um empreendimento meramente comercial?

Alguns especularam se Dali teria descendência judaica ou não; talvez fosse um marrano (judeu forçado a se converter ao catolicismo). Esta tese, no entanto, é firmemente rejeitada por Ian Gibson, que num dos seus trabalhos, descreve no primeiro capítulo de sua vida “O vergonhoso de Salvador Dali “ em1997, e que na verdade Dali alegou descendência árabe, um “Mudejar” (um muçulmano forçado a se converter ao catolicismo). Gibson ressalta que "Dali" é um nome comum nos países árabes ao longo do litoral norte do Mediterrâneo e tem o significado de "líder".
 
Bom, aqui na Eterna Sefarad, a ideia é partilhar convosco estes quadros, tenha ele tido simpatia pelos judeus ou não, tenha ele a descendência que tiver, tenha ou não sido um trabalho meramente comercial, o importante é que nos representou através da sua arte e o resultado são estas magníficas obras. ZD
 
 Aliyah
 
 
 Raquel chorando os seus filhos
 
 
 O Muro das Lamentações
 
 
 "Para que serve a tua vida e a duração dos teus dias" (Deuteronômio 30:20)
 
 
"Volta, ó virgem de Israel. Volta a estas, as tuas cidades" (Jeremias 31:20)
 
 
 O Yishuv (pré-liquidação Estado)
 
 
"Tu que dominas sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre o gado, e sobre todos os répteis" (Gênesis 1:26)
 
 
Os Pioneiros de Israel: "Com uma de suas mãos, ele operou o trabalho e, com a outra, segurava sua arma" (Neemias 4:11)
 
 
Nas margens de liberdade: O navio Eliahu Golomb traz imigrantes "ilegais"
 
 
A Terra, no início da colonização judaica: "Eu vou fazer deste deserto um lago de água" (Isaías 41:18)
  
 A Terra de volta à vida: "As montanhas e as colinas resplandecerão  em canto e todas as árvores do campo baterão palmas" (Isaías 55:12)
 
 
 A terra do leite e do mel
 
 
 A Shoah
 
 
  "Tu me deitaste na cova ínfima, em lugares escuros, nas profundezas" (Salmos 88:7)
 
 
"Sim, que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei nenhum mal" (Salmos 23:4)
 
 
Um grande momento na história:
David Ben Gurion lê a Declaração de Independência
a 05 de Maio de 1948
 
Hatikva (Esperança), o Hino Nacional de Israel
 
Menorah: Orah, Horah: luz, alegria
 
 
A Batalha nas Colinas de Jerusálem
 
 
Vitória: Uma Canção de Ação de Graças
 
 
Aliança Eterna: Circuncisão
 
 
Ler mais sobre o assunto, na fonte:
http://www.js.emory.edu/BLUMENTHAL/Salvador%20Dali%20Aliyah.htm#one

Nenhum comentário:

Postar um comentário