segunda-feira, 8 de outubro de 2012

A sinagoga Livorno - Itália


A sinagoga Livorno reconstruida em 1962
 
A sinagoga Livorno está localizada não muito longe da Piazza Grande, na cidade dos pentagonais Buontalenti, na ampla praça de  Benamozegh.
 
Foi construída pelo arquiteto Angelo Di Castro e concluída em 1962 no mesmo local da antinga sinagoga, que foi parcialmente destruída durante a "Segunda Guerra Mundial".
 
Esta sinagoga, assim como a de Trieste e a de Gênova,  é uma das três e únicas grandes sinagogas do século XX, na Itália, e a única a ser construída após a Segunda Guerra Mundial.
 
Interior da sinagoga, após a sua reconstrução
 
 
O arquiteto Di Castro,  projetou um edifício que faz lembrar a forma do Tabernáculo ou a grande tenda para guardar a "Arca da Aliança”, muito parecido com alguns projetos contemporâneos da guerra, especialmente da Alemanha. A moldura feita com fortes colunas de betão armado, painéis que encerram, onde as janelas de corpo octogonal, hexagonal e prismática de abobado, em que as pequenas aberturas triangulares criam um piscar de luzes impressionante.
 
No interior, os assentos são dispostos em terraços que descem em direção ao centro, onde está o tevah , feito através da reutilização de partes do antigo,  aron datado de 1708  que veio da Sinagoga de Pesaro  é um belo exemplo de artesanato barroco . A galeria está localizada em uma varanda na parte traseira. No andar de baixo é colocado no Oratório a tevah e um aron do século XVII, vindo de um templo de rito espanhol de Ferrara.
 
 
A História da sinagoga
 
A antiga Sinagoga
 
  
Na lei conhecida como " Livornina ", destinada a promover o estabelecimento de comerciantes de toda a nação e religião na nova cidade, o grão-duque Fernando I concedia especialmente para os judeus o privilégio de viver nas cidades de Pisa e Livorno , onde guetos não tinha ainda nascido, como em outras cidades da Toscana: os judeus não estavam vinculados pelo contrato “Azaka”, que previa o direito exclusivo de usar a propriedade, e tinham a oportunidade de comprar bens estáveis, portanto, estavam assim bem enraizados no meio urbano.
 
A Sinagoga real foi construída em Livorno em 1603 e projetada por Claudio Cogorano e Alessandro Pieroni, que fazem a estrutura inicialmente bastante modesta e despretensiosa, e durante o século XVII , com o crescimento da presença judaica na cidade, é essencial ser construida uma expansão.
 
Resconstrução gráfica do interior da antiga sinagoga
 
 
Em 1642 eles acrescentam uma grande sala de oração com duas fileiras de galerias projetadas por Francesco Cantagallina . A partir da segunda metade do século XVII, a sinagoga foi enriquecendo com mobiliário e decoração. Em 1700 a comunidade judaica de Livorno pediu ao Grão-Duque para aumentar ainda mais o templo, cujo interior foi completamente demolido e reconstruído com as galerias de mulheres em três lados. Outros trabalhos sobre a extensão e mobiliário foram feitos durante o século XIX , com a construção de uma nova fachada para o sul,  e por volta do ano de 1926 foram demolidos dois prédios que ladeavam a sinagoga do século XVII.
 
A antiga Sinagoga destruída

 
 
Os bombardeios da Segunda Guerra Mundial destruiram parte do templo. No período pós-guerra foi feito um longo debate sobre a possibilidade de reconstrução, onde, como ou se era para manter a mesma ou para construir um novo prédio. Mesmo com a intervenção de Bruno Zevi,  um membro do Conselho Superior de Obras Públicas, a história da reconstrução passou das mãos da comunidade de Livorno para a União das Comunidades Judaicas, que viu a oportunidade da construção de uma nova sinagoga em Livorno após a tragédia da guerra, um monumento para a vitalidade da comunidade judaica, que teria um enorme significado porque envolvia uma grande comunidade, e uma tradição rabínica antiga.
 
 
Fontes:
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário