segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Converter o Convertido?


Publicado em por Yashar



 
Seriam os convertidos, judeus de fato?
 
 
 
Por: Yashar David
 
 
O Judaísmo acredita que TODOS os judeus [a alma de todos os judeus, em todos os tempos] estavam presentes no momento em que Moisés nos deu a Torá.
Tão logo, cada judeu, mesmo que esteja fora da religião, é um judeu de fato! Cedo ou tarde, cumprirá a meta da existência da sua alma.
 
 
Mas, se um cristão, mulçumano e etc, se converte ao judaísmo, ele não nasceu judeu, como poderia ser considerado um judeu na propriedade da palavra, se todos os judeus estavam presentes no Sinai?
 
 
A resposta está no Talmud Shavuot 39
 
De acordo com o Talmud, as almas de todos os convertidos também estavam presentes no Monte Sinai quando a Torá foi dada (Talmud – Shavuot 39).
Este conceito é derivado de um versículo revelador da Torá.
 
 
No último dia da vida de Moisés, ele reuniu todo o povo judeu que tinha andado com ele no deserto.
Lá, D’us, o Sagrado Abençoado Seja, falou a toda a nação de Israel, e disse:
 
” E não somente convosco selo esta aliança e este juramento; mas com aquele que hoje está aqui em pé conosco perante o SENHOR nosso Deus, e com aquele que hoje não está aqui conosco.” [Deuteronômio 29:14-15]
 
 
Este verso é bastante desconcertante. Podemos entender D’us, o Sagrado Abençoado Seja, dizendo: “Eu selo esta aliança … com quem está aqui”, as pessoas que estão lá “in loc”, são aquelas que eram os errantes no deserto com Moisés.
Mas quem é o grupo que D’us, o Sagrado Abençoado Seja, se refere como sendo “quem não está aqui conosco hoje”?
 
 
De acordo com o Talmud, “…quem não está aqui conosco hoje”, refere-se aos convertidos que se converteriam no futuro. É a partir deste texto que o talmud afirma que a alma de todos os judeus estavam no Sinai (Talmud – Shavuot 39).
 
 
Um olhar mais atento sobre esse versículo no original hebraico também irá mostrar algo surpreendente. Se você olhar para a primeira parte da frase “…com quem está aqui”, você verá que as letras das quatro ultimas palavras (em hebraico), na verdade soletram a palavra “Yitró”, que foi o nome do sogro de Moisés.
 
 
Yitró era um converso justo. O fato de que seu nome ser encontrado no versículo “com quem está aqui” também indica que aqueles que se convertem nas gerações futuras também estavam lá naquele dia.
O Talmud, continuando essa idéia de que aquele que converte já tem uma alma judaica dentro dele, usa uma frase muito interessante quando se discute as leis judaicas dos convertidos em potencial.
Está escrito “…um convertido que vem para converter …” A frase levanta a questão – por que dizer ” CONVERTER O CONVERTIDO …”? Deveria tão somente dizer: “um gentio que vem para se converter!
 
 
A razão é porque eles [os convertidos] já têm uma centelha judaica dentro deles. Porque já são judeus, cuja as almas estavam perdidas e que agora precisam apenas ser reunidas ao redil do povo judeu.
Rabi Chaim Atar discute que o convertido é realmente judeu por dentro, mas foi trocado por algum “anjo desajeitado” enquanto estava descendo. Uma centelha da alma de Avraham que Sara atraiu como foi discutido pelos místicos.
 
 
“Os prosélitos são amados por D’us, a Bíblia usa em todos os lugares a mesma qualificação, tanto para eles como Israel” (Talmud, Gerim 4:03)
 
 
Um outro detalhe muito interessante é o fato de que todos os israelitas que chegaram ao Sinai, eram almas judias que ainda não tinham entrado para o pacto feito com Avraham , [eles ainda não tinham sido circuncidados.] A diferença das almas do Sinai, para um convertido hoje, é o simples fato de que elas entraram para o redil judaico a mais de 3 mil anos atrás, enquanto hoje e manhã, algumas dessas almas entrarão para o pacto.
 
Obs. Agora fica claro o porquê os judeus não são proselitistas. Caso o judaísmo procurasse converter pessoas isto seria o mesmo que contrariar o plano Divino, já que todas as almas judias regresarão no seu tempo determinado.
 
 
 
Fonte:
 
Este artigo foi copiado na integra do site:
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário