quinta-feira, 6 de março de 2014

Momentos Sagrados





Será que o homem e a mulher modernos têm alguma forma de se relacionar ao sagrado? Ou será a santidade, sendo próxima a D'us, algo que nos ilude porque o ritmo da vida é muito rápido, ou porque nós somos muito materialistas, ou porque nós vivemos numa sociedade secular, ou porque os tempos mudaram, ou porque...


De acordo com Rabi Shneur Zalman de Liadi (1745-1812; fundador do Chassidismo Chabad), nós podemos aprender algo sobre isto de uma frase no início de nossa Parashá.

Ostensivamente, ela fala-nos de “alguém que deseja fazer uma oferenda a D'us”, no sentido de uma oferenda animal – algo que pareceria estar relacionado somente à época dos Templos. 



Entretanto, é bem conhecido que cada palavra da Torá tem vários níveis de significado.
A palavra hebraica para “oferecer” e “oferenda” (yakriv/korban) também significa “aproximar”. Assim, Rabi Shneur Zalman explica o texto dizendo:  

“Se alguém deseja aproximar-se de D'us...”.

O que isto nos diz sobre a pessoa que se quer aproximar de D'us? Como ele ou ela faz isto? Como explica o Rabi Shneur Zalman, o texto em hebraico continua:

“Você se aproxima oferecendo a si mesmo a D'us.”


Oferecer a si mesmo? O que significa isto?


O Rebe Lubavitcher explica, que oferecer a si mesmo significa que a pessoa não pensa somente em seu próprio benefício, mas doa de seu tempo, energia, dinheiro ou conforto para ajudar seu próximo.

Isto é algo compreensível, mesmo na nossa era materialista, que roda em alta velocidade. Alguém precisa de você. Você dá de si mesmo, de forma generosa. Você estará ajudando alguém, e também você estará aproximar-se de D'us.




Ou conforme um outro cenário:


Existe um problema num relacionamento. Você e outra pessoa no trabalho; ou você e alguém da sua família. O que você faz? Você se rende, exercendo seu auto controle para não provocar e perpetuar uma argumentação sem fim. Com isto, você ganha no objectivo da paz e da união. Além disso, e também aqui, estará a aproximar-se pessoalmente de D'us.

Através de breves exemplos de auto-entrega, somos capazes de compartilhar momentos sagrados – apesar da nossa era moderna. Poderia até ser sugerido que neste nosso mundo complexo nos dá mais oportunidades para isto do que antes, quando a vida era simples e menos envolvente.


Existe muita bondade a ser feita. O que esta Parashá nos ensina é o caminho para avançarmos; para seguir em frente.



Por Tali Loewenthal

Nenhum comentário:

Postar um comentário