sábado, 8 de março de 2014

Memoriais de Yad Vashem I



E para eles eu darei na minha casa e dentro dos meus muros um memorial e um nome (a "Yad Vashem")

... que não será cortado. Isaías 56:5



Como memória viva ao povo judeu do Holocausto, Yad Vashem salvaguarda a memória do passado e explica o seu significado às gerações futuras. Fundado em 1953, como centro do mundo para a documentação, investigação, educação e comemoração do Holocausto, Yad Vashem é hoje um lugar vital, dinâmico e de encontro internacional entre gerações.



Este artigo é uma homenagem às vítimas do Holocausto, através do escultor e pintor Naftali Bezem, do qual vos falarei um pouco mais num outro artigo dedicado à sua vida como homem e como artista. Para já deixo-vos com o seu trabalho dedicado às vitimas do Holocausto. 


E em Yad Vashem, o guia, Kenny, explica a primeira de uma escultura de quatro partes de alumínio fundido por Naftali Bezem que nasceu na Alemanha em 1924. Em adolescente Naftali foi aterrorizado pelos nazis e tragicamente seus pais foram assassinados em Auschwitz. 




A primeira das esculturas representa a destruição. Uma linha de pessoas estão sendo levadas para os fornos crematórios, os castiçais de Shabat invertidos representam o sagrado a ser profanado, e os peixes alados retratam os gritos silenciados das vítimas.




A segunda escultura representa a resistência. No cimo das chamas da destruição e da batalha, os judeus lutam com as suas escassas armas; a escada encarna aqui, como o ressurgimento de ascensão e promessa.




A terceira escultura representa a imigração para Israel. Os sobreviventes navegam para Israel e levam o legado do Holocausto. Para construir uma nova vida que eles carregam com eles armas de defesa e ferramentas agrícolas.




E por fim, a quarta e última escultura de Naftali no Centro de Yad Vashem, representa o renascimento. Simbolizado pelo endireitamento das velas de Shabat e o fruto sabra sobre os cactos,  que representam a nova geração, assim como as lágrimas nos olhos do leão a evocar as memórias do Holocausto.




Fontes:

Imagens retiradas da primeira fonte e que aparecem com o nome Sam, que assumo que seja o autor das mesmas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário