sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Cartas de Lisboa | Vayechi


Vayechi


"Que D-us te faça como Efraim e como Menashe".


Até ao presente, estas palavras são ouvidas em todo o Mundo. Elas foram proferidas pela primeira vez pelo Patriarca Yaakov/Jacob na Parashá desta semana, e são repetidas como a bênção de todos os pais judeus aos seus filhos.

O que precisa ser esclarecido é a aparente duplicação no texto do versículo. Não seria suficiente dizer "Como Efraim e Menashe" juntamente? Porque é que o versículo necessita de afirmar novamente "Como Efraim e COMO Menashe"?




Abravanel explica: Menashe e Efraim eram netos de Yaakov, filhos de Yosef/José. E, enquanto Yaakov os abençoava, propositadamente colocou as suas mãos de modo que a mão direita pousava sobre a cabeça de Efraim.




Ao ver isto Yosef objectou. Efraim era o mais novo dos dois filhos e o procedimento apropriado impunha que o filho mais velho recebesse uma honra extra representada pela mão direita em oposição à esquerda. 

O Midrash explica a apreensão de Yosef. Quem melhor que Yosef sabia que sentimentos negativos o favoritismo pode promover? Não percebia Yaakov as potenciais consequências negativas do facto de Menashe se sentir desprezado?

A isto Yaakov responde: "Eu sei, meu filho", eu aprecio as tuas preocupações. No entanto, as próprias palavras daquelas bênçãos abordam a seguinte ideia.




Ser "Como Efraim e como Menashe" é, para cada um deles, individualmente, a valorização do que o outro recebeu. Não só esta bênção foi dada a cada um deles individualmente mas, também, para que cada um deles ficasse feliz com o que o outro iria receber.




Esta, diz Abravanel, é a razão de ser da palavra extra no versículo - como- para nos lembrar que a maior bênção é, por vezes, ser feliz por aquilo que o outro recebe.   


Cortesia do Rabbi
Eli Rosenfeld


Shabat Shalom!
chabadportugal.com



Fontes das pinturas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário