domingo, 27 de abril de 2014

Polónia - 27 Nissan 5703



Levantamento do Gueto de Varsóvia 
(1943)


Edifício memorial às vítimas do gueto


No Verão de 1942, cerca de 300.000 judeus foram deportados de Varsóvia para Treblinka. Quando os relatórios do assassinato em massa no campo da morte chegaram ao Gueto de Varsóvia, começou a formar-se uma resistência armada, que conseguiu contrabandear uma pequena quantidade de armas para dentro do gueto. 




A 14 de Nissan de 1943, os 35.000 judeus remanescentes do gueto de Varsóvia (dos originais 450.000) organizaram um levante armado, e rechaçaram os nazis com uma chuva de balas quando estes foram para a remoção final de todos os judeus.





A resistência judaica durou 27 dias. Uma barricada heroica foi feita num bunker subterrâneo sob o nº 18 da Rua Mila, onde centenas de combatentes, incluindo o líder Mordechai Anielevicz, de 24 anos, encontraram a morte.



Um dos locais que serviu de esconderijo a alguns judeus


Embora o gueto tivesse sido incendiado inteiramente em 3 de Iyar, uns poucos sobreviventes se esconderam nos escombros e atiraram nos nazis por mais dois meses.



Em tributo ao levante, o governo israelita designou o dia 27 de Nissan como “Dia Oficial do Holocausto e Bravura”, e em muitas comunidades judaicas o dia é observado como um dia anual de recordação do holocausto.



Judeus trabalhando na construção de um muro ao redor da área do gueto de Varsóvia.



Um memorial num dos muros erguidos


Porém, devido à proibição haláchica de conduzir panegíricos e outros eventos de luto no mês festivo de Nissan, o Rabinato Chefe de Israel e muitas comunidades judaicas observam o dia 10 de Tevet como dia de luto e lembrança dos seis milhões, que inclui muitas pessoas cujo yahrtzeit (data de falecimento) permanece desconhecido.



Memorial aos resistentes do gueto de Varsóvia, Polónia.





Fontes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário