quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mishná - 5ª Ordem | Kodashim


Kodashim



Kodashim (em hebraico קדשים, Coisas Sagradas) é a quinta Ordem da Mishná (igualmente da Tosefta e do Talmude). Das seis Ordens da Mishná, esta é a terceira mais longa. Kodashim aborda na sua maioria o serviço religioso no Templo de Jerusalém, os Korbanot ou ("oferendas sacrificiais"), e outros assuntos considerados ou relacionados a estas "Coisas Sagradas".


Kodashim consiste em 11 tratados:


1-      Zevachim (זבחים, "Sacrifícios").
2-     Menachot (מנחות, "Ofertas de Alimentos").
3-     Chulin (חולין, "Coisas Comuns ").
4-    Bechorot (בכורות, "Primogénitos").
5-     Arachin (ערכין, "Dedicações").
6-    Temurá (תמורה, "Substituição").
7-     Keritot (כריתות, "Extirpações").
8-     Meilá (מעילה, "Sacrilégio").
9-    Tamid (תמיד, "Sempre" ou "Permanente").
10- Midot (מידות, "Medidas").

11-   Kinnim (קנים, "Ninhos").


A razão tradicional para esta ordenação dos tratados, de acordo com a opinião de Rambam ou Maimónides é a seguinte:


Zevachim é o primeiro uma vez que define o principal propósito físico do Templo - os sacrifícios animais.

Menachot continua o assunto das ofertas de sacrifícios, de acordo com a ordem das Escrituras e o estatuto das ofertas de alimentos como um suplemento.

Após lidar com as oferendas do Templo, segue-se Chulin, que lida com as "oferendas seculares".

Bechorot, Arachin e Temurá todos discutem leis auxiliares da santidade e seguem a lei das Escrituras.

Keritot segue a anterior elaboração de mandamentos uma vez que em grande parte discute as oferendas para a transgressão de determinado tipo de mandamentos.

Meilá vem a seguir por também discutir o assunto de transgressões da santidade, se bem que de uma natureza mais leve.

Após lidar com leis, dois tratados de descrição são acrescentados: Tamid, que dicute o sacrifício diário e Midot que aborda a generalidade do Templo de Jerusalém.





Finalmente, Kinnim foi colocado em último pois todas as suas leis abordam acidentes e situações que ocorrem muito raramente.

Existe uma Guemará no Talmude Babilónico para os primeiros 8 tratados, e três capítulos de Tamid. Apesar do assunto abordado não ser relevante para a vida das academias da Babilónia, a Guemará foi incluida para seguir a ideia que o estudo das leis do serviço do Templo é um substituto para o serviço em si mesmo. Também, os sábios rabínicos queriam merecer a reconstrução do Templo prestando especial atenção a estas leis. Contudo, no moderno ciclo de estudos talmúdicos de Daf Yomi e nas actuais edições impressas do Talmude Babilónico, a Mishná para os últimos dois tratados é acrescentada no final, para "completar" a Ordem.



Rabino Meir Shapiro, iniciador de Daf Yomi.


Fontes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário