quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mishná - 4ª Ordem | Nezikin




Nezikin



Nezikin (em hebraico: נזיקין, Danos) ou Seder Nezikin (סדר נזיקין, A Ordem de Danos) é a quarta Ordem da Mishná (assim como da Tosefta e do Talmude). Ocupa-se em especial com a lei criminal e civil judaica e com o Bet Din, o sistema de tribunais judaico.


Nezikin contém dez volumes ou "tratados":

1-      Baba Kamma (בבא קמא, "Primeiro Portão").
2-     Baba Metzia (בבא מציעא, "Portão do Meio").
3-     Baba Batra (בבא בתרא, "Último Portão").
4-    Sanhedrin (סנהדרין, Sinédrio).
5-     Makkot (מכות, "Açoites").
6-    Shevuot (שבועות, "Juramentos").
7-     Eduyoth (עדויות, "Testemunhos").
8-     Avodá Zará (עבודה זרה, "Culto estranho" ou "Idolatria").
9-    Avot (אבות, "Pais") ou Pirkei Avot.
10- Horayot (הוריות, "Decisões").





Originalmente, os três primeiros volumes eram contados como um único, um volume bastante largo. Uma vez que era a o repositório principal da lei "civil", ele era simplesmente chamado Massekhet Nezikin ("Tratado Danos").





O ordenamento dos volumes de Nezikin prende-se com as seguintes razões: a Ordem começa com a lei civil (os primeiros 3 tratados) porque é considerada a pedra angular da rectidão da justiça dentro de um Estado judaico. Segue-se naturalmente Sanhedrin, pois esse tratado lida com a lei criminal. A seguir está Makkot, porque é uma continuação do assunto de Sanhedrin em termos de procedimento criminal. Depois, Shevuot, que continua o tópico geral abordado em Makkot acerca do falso testemunho. Depois de definir os prontos principais da lei criminal e civil, segue-se Eduyot para incluir tudo numa moldura haláchica.






Depois de abordar os "danos" dentro de uma sociedade, o próximo estágio é, Avodá Zará, é colocado para reforçar o que é visto como um comportamento que causa dano ao Universo. 

Avot é provavelmente colocado na continuação para se opôr à negatividade das leis de Avodá Zará e para relatar as máximas dos Sábios, sendo um aspecto essencial dos seus ensinamentos a oposição à idolatria. Finalmente, Horayot traz a discussão das "alturas" para uma nota de humildade, evidenciando o conceito que até mesmo os Sábios e o Bet Din, ou o tribunal rabínico pode cometer erros.




Nas versões do Talmude Babilónico e do Talmude de Jerusalém existe uma Guemará de cada um destes tratados, excepto para Eduyot e Avot. Provavelmente isto deve-se ao facto que estes dois tratados não estarem ligados a leis individuais e portanto não se prestam eles mesmos ao estilo de análise da Guemará.



Fontes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário