quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Tzippori - Uma Vila encantadora com muita história!


Galileia -Tzippori 


ציפורי


De acordo com o Talmude Babilônico (Meguilá 6) Zippori tem este nome porque fica no alto de uma montanha, como um pássaro (Sefor). Subindo apenas 115 metros acima do fértil vale Bet Netofa para Norte, as inúmeras nascentes na área e sua localização estratégica central, permite uma visão de pássaro sobre o ambiente rural.                                     Vale Bet Netofa


A antiga Zippori é mencionada pela primeira vez por “ Flávio Josefo " descrição do reinado de Hasmoneano do rei Alexandre Janeu. Algumas décadas mais tarde, Zippori tornou-se a cidade mais importante da Galileia. Em 38 a.e.c., Herodes tomou Zippori sem uma única batalha durante uma tempestade de neve rara, e lá estocou armas. Depois da morte de Herodes, no Séc. IV  d.e.c., os cidadãos começaram um motim (conhecido como a Guerra Varus); eventualmente, os soldados sob governador romano Varus capturaram Zippori. "Ele tomou a cidade de Séforis queimou-a e fez dos seus habitantes escravos " (Guerra 2:68). 



Sefurieh


Alguns historiadores afirmam que os moradores de Zippori terão aprendido a lição com esta experiência, e que é por este motivo, que mais tarde se recusam a tomar partido na Guerra dos judeus contra os romanos. Herodes Antipas, que herdou a Galileia de seu pai encontra assim, nesta capital uma ruína deserta. Mas Herodes fez um bom trabalho de restauração e embelezamento da cidade, e que Josefo a denomina como: "glória de toda a Galileia”. 



Mona Lisa da Galileia


Quando o famoso rabino Judá Hanasi se mudou para Zippori de Bet Shean, ele trouxe com ele o Sinédrio (assembleia de 71 estudiosos ordenados e que serviu tanto como legislatura, como Supremo Tribunal Federal). Rabino Judá Hanasi colocou o toque final na Mishna em Zippori (220 CE). Os estudiosos que viviam em Zippori também participaram escrevendo o Talmud de Jerusalém, terminado no quarto século. 



Traditional burial place of rabino Judá Hanasi on National Park



Uma presença cristã em Séforis não é atestada até o início do século IV, quando um certo José de Tiberíades, um convertido ao judaísmo, foi obrigado pelo imperador Constantino (306-337) a construir lá uma igreja. 
Church of St. Anna


Tal como todos os moradores da Galileia, durante o século IV as pessoas de Zippori sofreram muito sob o domínio romano. No ano 351, os judeus revoltaram-se contra Gallus César: Eles atacaram a guarnição local, mataram os soldados, e confiscaram as suas armas. Esta rebelião foi firmemente vincada. Há relatos que afirmam que Zippori foi destruída na revolta, mas não há nenhuma evidência arqueológica para apoiar esta afirmação. No entanto, os arqueólogos encontraram provas de que a cidade foi destruída no ano 363 mas vítima de um terremoto. 

Desde o século V em diante, tanto judeus como cristãos habitavam Zippori. Durante a Idade Média, Zippori ainda tinha uma pequena comunidade judaica, como é evidenciado por uma carta escrita no século X, descoberta no Cairo, no Genizah (arquivo judeu). A sua localização ficava numa importante encruzilhada da rota de peregrinação do Acre (Akko) a Nazaré e levou à construção de um cruzado forte, mas parece que esta cidade não teve um significado real. 


A sinagoga tem um piso de mosaico ricamente colorido retratando uma abundância de símbolos judaicos, cenas bíblicas e inscrições dedicatórias em aramaico e grego. 



Chão da grande sinagoga de Séforis, século V


Os locais de interesse no Parque Nacional Zippori incluem o teatro romano de 4.500 lugares, construído na encosta com vista para o vale de Bet Netofa e para as montanhas da Alta Galileia , onde apenas alguns dos assentos tiveram que ser  reconstruídos. 



Teatro


A vila construída no início do século III, com ilustrações da vida de Dionísio, o deus grego do vinho, a cidade romana do período menor com a sua cuidada série de ruas paralelas e perpendiculares.




Mosaico do edifício Nilo, do século V, uma estrutura com um piso de mosaico ornamentado representando o festival realizado quando o nível do rio Nilo atingiu o seu ponto mais alto,  e uma sinagoga completa datada do início do século V d.e.c. 



Mosaico do Edifício Nilo


A distribuição de água subterrânea é gigante, construída no primeiro século e em operação até o sétimo. Os 250 metros de comprimento do reservatório poderiam manter 5.000 metros cúbicos de água. O Centro de Orientação Zippori oferece uma série de passeios e programas especiais sobre a história da área de Zippori.











E termino este artigo com um  convite:


Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário