sábado, 16 de novembro de 2013

O dia de ontem na história judaica – 13 Kislev 5774




Falecimento de Ravina II; o Talmud é “encerrado” 
(475 EC)


Nas primeiras décadas do 5º século, Rav Ashi (falecido em 427) e Ravina I (falecido em 421) lideraram o grupo dos Amoraim (Sábios talmúdicos) na extenuante tarefa de compilar o Talmud Babilônico – coletar e editar as discussões, debates e leis das centenas de eruditos e sábios, ocorridas nos mais de 200 anos desde a compilação da Mishná por Rabi Yehuda HaNassi em 189. O último destes editores e compiladores foi Ravina II, que faleceu a 13 de Kislêv de 4235 (475 EC). 


Após Ravina II, não foram feitas mais adições ao Talmud, com exceção da edição mínima empreendida por Rabanan Savura’i (476-560). Esta data, portanto, assinala o ponto no qual o Talmud foi “encerrado” e tornou-se a base para toda a exegese posterior da Lei da Torá.



Ravina II (hebraico: רב אבינא בר רב הונא ou רבינא האחרון) foi um judeu Talmudista e rabino, um sábio amorita da oitava geração da Era Amorá*. Em 475 dC, ele terminou de editar o Gemara, parte do Talmud Bavli, completando o trabalho de seu mestre Rav Ashi. ("Talmude Babilônico"). Ele era um sobrinho de Ravina I e foi líder por 22 anos.


*Amorá (אמורא) vem do verbo "dizer" em hebraico e aramaico, daí o termo amoraím (Amoritas) se referir àqueles que dizem / comentam os ensinamentos da mishná.







Só em 1880 os primeiros volumes de uma edição extraordinária do Talmud babilónico foram publicados em Vilna, o centro de rabínico de aprendizagem na Europa Oriental durante quase meio milénio.

Foto: Primeira página da edição de Vilna do Tractate Berachot, Talmude Babilónico.




Nenhum comentário:

Postar um comentário