sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Cartas de Lisboa | Terumah





Terumah



A nossa parsha esta semana contém as instruções e indicações detalhadas, para a construção do Mishcan, o Tabernáculo, o predecessor do Templo.



Planta do Tabernáculo



Enquanto é certo que cada parte e utensílio específico tenha sido projetado com uma função específica em mente, ainda assim eles também contêm mensagens importantes e lições para nós.



 
Ao entrar no pátio do Mishcan poder-se-ia encontrar o "qiyor", um lavatório de cobre utilizado pelos kohanim para se purificarem antes de iniciar o serviço no Templo.

Este acto aparentemente mundano, diz Dom Abarbanel, contém uma lição profunda:




O objetivo do Mishcan era melhorar o relacionamento com D-us, ver e participar no seu serviço que foi concebido para inspirar e conectar a pessoa a D-us.

Para atingir este objetivo, às vezes maus hábitos e comportamento negativos precisam de ser lavados.

Dom Abarbanel diz, que este é o que este lavatório especial, o "qiyor", representa. Além disso, acrescenta, lavar o que é negativo não é suficiente, há também necessidade de uma infusão de elementos positivos, a necessidade da água.

Água, na tradição judaica, reflete a ideia de Torá. Fluindo para baixo do alto e para todos os locais possíveis, os valores e os ensinamentos da Torá são a nossa ajuda onde quer que estejamos.



Ao nos aproximarmos do Tabernáculo, esta estrutura especial 
torna-se verdadeiramente eterna.



Como nossos antepassados ​​antes de nós, podemos também ser elevados por este lugar especial. Embora, não possamos realmente atravessá-la, nós podemos fazê-lo na nossa imaginação, evocando a espiritualidade e a majestade que aí foi sentida por todos.



Ao tal fazer, vamos continuar a "construir" o Tabernáculo, e a promover a sua finalidade e função, para nos aproximar mais, e mais conscientemente de D-us e da Torá.



Shabat Shalom!
Cortesia do Rabino 


Eli Rosenfeld
chabadportugal.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário