sábado, 6 de setembro de 2014

O Rabino Ya’akov Tsemach



No seguimento do artigo Cartas de Lisboa| Ki Teitzei, vamos conhecer um pouco melhor o rabino português (Ya’akov Tsemach), de quem nos fala o rabino Eli Rosenfeld.



A sabedoria da Cabala


O seu nome completo é Jacob ben Haim Zemah e nasceu no início do século XVII (1600?).



Este rabino foi um cabalista e médico Português. Ele teve formação em medicina no seu país natal, como marrano, mas fugiu por volta do ano de 1.619 para Safed e dedicou-se ao estudo do Talmud e aos casuístas ("posekim") até 1625; de seguida, ele foi para Damasco, onde por 18 anos, estudou a cabala do Zohar e os escritos de Isaac Luria e Chaim Vital. 




A Cidade de Safed, xilogravura de Harry Fenn (1838-1911) 



Bairro judaico na Velha Damasco por: 
Lord Frederic Leighton


Acabou por se estabelecer em Jerusalém onde abriu uma yeshivá para o estudo do Zohar e outras obras cabalísticas, David Conforte foi por algum tempo um dos seus alunos (Kore ha-Dorot, pp. 36a, 49a). 



Uma das ruas da Jerusalém Velha



Jacob Zemah foi um dos maiores cabalistas da sua época e foi um autor prolífico, as suas obras, incluem os tratados da sua autoria, assim como compilações dos escritos de Hayyim Vital. Ele produziu vinte obras, das quais apenas duas foram publicadas. A primeira delas é o Kol ba-Ramá (Korez de 1785), um comentário sobre o Idra, que começou em 1643, e para a qual ele utilizou o comentário de Hayyim Vital. No prefácio de seu trabalho, ele afirmou que a vinda do Messias dependia do arrependimento ("teshuvá"), do estudo da Cabala do Zohar e dos escritos de Isaac Luria, e ainda, que o atraso no advento do Messias se devia à inexistência de escolas espalhadas por todas as cidades para esse estudo.




A sua segunda obra publicada é a Nagid u-Mezawweh (Amsterdam, 1712), sobre o significado místico das orações, sendo este um resumo de um compêndio que Zemah compôs com base num tratado mais abrangente. 




Entre os seus trabalhos inéditos, uma menção especial pode ser feita da Ronnu le-Ya'akob, em que ele se chama "prosélito" ("Zedek ger."; Cat Oppenheimer, No. 1062 Q). Este tratado é composto por notas gravadas enquanto estudava sob Samuel Vital e completada com algumas das suas próprias adicções. Na sua compilação dos escritos de Hayyim Vital, Zemah afirmou ter descoberto muitas obras de Vital que eram desconhecidas para o filho do último - Samuel. 


Ya’akov Tsemach morreu em Jerusalém, na segunda metade do século XVII.


Não encontrei nenhuma imagem deste rabino, pelo que optei por colocar algumas imagens referentes às cidades por onde passou e viveu e das suas obras publicadas. ZD



Fontes:

Referências:
Bibliografia Enciclopédia Judaica
Azulay, Shem ha-Gedolim, i., Ii. S.V. Gilgulim, et passim;
Eliaquim Carmoly, em Revue Orientale, ii. 287;
Fuenn, Keneset Yisrael, p. 570;
Steinschneider, Cat. Bodl. col. 1268.
Este artigo incorpora o texto de uma publicação agora em domínio público: "Zemah, Jacob ben Haim". Enciclopédia Judaica. 1901-1906.

Nenhum comentário:

Postar um comentário