quinta-feira, 10 de julho de 2014

Menachem Mendel Schneerson


O Rebe


O Rebe by Michael Khundiashvili



Menachem Mendel Schneerson (em hebraico מנחם מנדל שניאורסון, em russo, Менахем Мендел Шнеерсон] (Nikolayev, 18 de abril de 1902 – Nova Iorque, 12 de junho de 1994), conhecido por seus seguidores como O Rebe, foi um conhecido rabino ortodoxo, o sétimo e último Rebe do movimento Chabad Lubavitch.

Nascido no dia 11 de Nissan pelo calendário hebraico, filho de Chana Schneerson e do rabino Levi Yitschac Schneerson, cabalista e Rabino Chefe da cidade de Dniepropetrovsk, na Ucrânia, Menachem Mendel fez seus estudos na sua própria casa, depois de ser considerado uma criança-prodígio pelos professores de seu colégio.



Seus pais, Chana Schneerson e do rabino Levi Yitschac Schneerson 
Foto retirada da Chabad


Na educação do jovem, toda a ênfase era dada ao estudo das Escrituras Sagradas. Porém o seu pai consentiu que Menachem Mendel também aprendesse ciências, Matemática e idiomas. Aprendeu inglês, italiano, francês, latim e georgiano, além do ídiche familiar. No dia do seu Bar-mitzvá, já era considerado um prodígio pelos seus conhecimentos sobre o Talmude, e as suas opiniões eram muitas vezes levadas em consideração por rabinos muito mais velhos. Durante a adolescência, correspondeu-se com as maiores autoridades judaicas da época.


Em 1923, Menachem Mendel encontrou-se pela primeira vez com o Rabi Yosef Yitzchok Schneersohn, na época chefe do movimento chassídico Chabad Lubavitch. Rabi Yossef Yitzhak liderava a luta para manter vivo o judaísmo na recém-criada União Soviética, enfrentando as perseguições do governo soviético. Escolas, sinagogas e todas as instituições religiosas haviam sido fechadas. Líderes judaicos eram aprisionados, exilados ou executados. Menachem Mendel juntou-se a Yossef Yitzchak em missões secretas, que se destinavam a apoiar as instituições perseguidas pelo regime comunista.



Menachem Mendel e Rabi Yosef Yitzchok Schneersohn By Carl Braude


No verão de 1927, Rabi Yossef Yitzchak Schneerson foi preso pelas autoridades comunistas e condenado à morte. Coube então a Menachem Mendel, "o Rebe" da nova geração, a organização de um movimento mundial para pressionar as autoridades soviéticas. O movimento pretendia que fosse comutada a pena de morte e que autorizassem Rabi Yossef Yitzchak a deixar o país e emigrar para os Estados Unidos.


Em dezembro de 1929, Menachem Mendel casou-se com a segunda filha de Rabi Yossef Yitzhak, Chaya Mishka, em Varsóvia. 




O casal mudou-se, em seguida, para Berlim, onde Menachem Mendel ingressou na Universidade para estudar Matemática e Filosofia. Mas, em 1933, com a ascensão do nazismo, o casal mudou-se para Paris, onde continuou os seus estudos na Faculdade de Engenharia da Sorbonne, até 1938.

Em 14 de junho de 1940 o exército nazi ocupou Paris. Menachem Mendel e sua esposa fugiram para Vichy; de lá para Nice e depois, Lisboa. Nesse ínterim, Yossef Yitzchak Schneerson foi finalmente libertado pelos soviéticos e partiu para Nova Iorque. Logo, conseguiu permissão para que seu genro e filha entrassem nos EUA e, assim, em 23 de junho daquele mesmo ano, o casal estabeleceu-se na América. 



O Rebe’s Home


Durante algum tempo, Mendel trabalhou como engenheiro para a Marinha dos Estados Unidos, no esforço de guerra. O seu trabalho foi classificado como "secreto".



Como milhões de outros judeus, Menachem Mendel perdeu parte de sua família no Holocausto: seu irmão mais novo, Dov Ber, sua avó e muitos outros familiares. Sua esposa Chaia Mushka também perdeu a irmã com o marido e o filho adotivo, todos exterminados no campo de concentração de Treblinka.



Quando o Rebe Anterior faleceu, em 28 de janeiro de 1950, os sobreviventes do movimento Lubavitch de todo o mundo voltaram-se imediatamente para o seu genro. Os chassidim imploraram-lhe que ele aceitasse a liderança. Menachem Mendel recusou, repetidas vezes, alegando que se conhecia bem demais para imaginar que servisse para o cargo.

Quando uma delegação de chassidim idosos foi com uma petição aceitando-o como seu Rebe, ele colocou a cabeça entre as mãos e começou a chorar. "Por favor, me deixem" – suplicou ele. "Isso nada tem a ver comigo." Após um ano de episódios como esse, finalmente aceitou o cargo. Assim mesmo, havia uma condição:

"Eu ajudarei" – anunciou o Rebe – "mas cada um de vocês terá de cumprir sua própria missão. Não esperem ficar pendurados nas franjas de meu talit."


By Carl Braude


No seu primeiro discurso como líder do movimento afirmou: 

"Os três amores do nosso povo - o amor a Deus, o amor pela Torá e o amor pelo nosso semelhante - são na realidade um único e mesmo amor". 

Com esta afirmação visava disseminar o judaísmo e abraçar no seu seio todo e qualquer judeu, não importando de onde viesse ou que tipo de ideias tivesse. Ensinava que vivemos num mundo onde as ações são de extrema importância; por isso rejeitava o isolacionismo religioso.

"O Rebe" celebrizou-se por suas campanhas de caridade e de estímulo à prática das mitzvot (mandamentos religiosos). Ao longo de mais de 50 anos à frente do movimento Chabad-Lubavitch, Rav. Schneersohn tornou-se uma das figuras judaicas mais célebres do século XX.

Em 1953 fundou a organização feminina Lubavitch. Acreditava que as mulheres não podiam ser mais impedidas de estudar a Torá a níveis mais elevados. A seu ver, podiam estudar mesmo os seus aspectos mais místicos, insistindo em que o papel das mulheres era igual - e em muitos casos mais importante - do que o dos homens.



The female division of the Young Shluchot Conference poses in front of 770 Eastern Parkway, the Lubavitch World Headquarters, in Brooklyn, N.Y.


Amparado no exemplo de seu sogro, "O Rebe" foi um interlocutor decidido nas negociações pela libertação dos judeus soviéticos oprimidos. Sob sua liderança foram estabelecidas redes clandestinas de chassidim que proviam dinheiro, comida, vestimentas, estudos e apoio espiritual para os milhões de judeus soviéticos.

Seguindo as ordens de Rav. Schneersohn, milhares de "shluchim" (emissários) do movimento Chabad-Lubavitch percorreram o mundo, fundando sinagogas, centros cívicos e instituições de caridade.



By Ofer Yom Tov


Em 1992, aos 92 anos, o Rebe sofreu um derrame, vindo a falecer dois anos mais tarde.



O túmulo do Rabbi Menachem Mendel Schneerson à esquerda 
e o túmulo do Rabbi Yosef Yitzchak Schneersohn à direita.


Logo a seguir, os deputados norte-americanos John Lewis, Jerry Lewis e Newt Gingrich apresentaram um projeto de lei para outorgar ao Rebe a Medalha de Ouro do Congresso dos Estados Unidos. O projeto foi aprovado por unanimidade como homenagem ao Rebe por sua destacada e permanente contribuição ao desenvolvimento da educação, moralidade e caridade nos EUA e no mundo.



Passagem por Lisboa


Navio Serpa Pinto

Entre os muitos refugiados que passaram por Portugal e Lisboa na fuga do Shoah estava o grande tzadik, o Rabino Menachem Mendel Schneerson, que mais tarde viria a ser o 7º Lubavitcher Rebbe. O Rebbe viajava da França com a sua mulher a Rebetsin Chaya Moussia, filha do 6º Rebbe.


Ver mais sobre esta passagem por Lisboa:




Fontes:


2 comentários:

  1. Muito interessante.E a família MENDEL que se deslocou e fixou na Torre de Moncorvo em Portugal)? Eram de origem judia e abastados lavradores que criaram o morgado de Mendel em 1470. Ainda hoje o Povo chama à família MARTINS os mindeis. ( MENDEL) e eu tenho o brasão de armas de Mendel para perpetuar a família ,que foi tão dizimada ao longo da história .
    José Duarte Martins Pinto dos Santos , mais conhecido por MENDEL PINTO DOS SANTOS / Portugal.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde, sr. Mendel Pinto dos Santos. Muito obrigada pelo seu comentário que achei deveras interessante.

    ResponderExcluir