sexta-feira, 11 de julho de 2014

Cartas de Lisboa | Pinchas



Pinchas



A parsha desta semana apresenta a lista dos sacrifícios apresentados no Templo em Jerusalém nos Dias Santos e no Rosh Chodesh.


Em cada um destes dias tão especiais lê-mos esta lista na sinagoga, o que faz a parsha Pinchas a parsha que de toda a Torá é a mais frequentemente lida.

Mais ainda, todas as semanas na oração de Shabat durante Musaf recitamos versículos desta parsha Pinchas os quais comemoram a oferenda de Musaf.




Claramente deve haver algo de muito relevante na listagem destes sacrifícios. Mesmo nos dias de hoje em que o Templo não está em actividade. Dom Abarbanel no seu comentário examina alguns destes versos e deixa as seguintes perguntas.


1) Porque é que a oferenda de Shabat é composta de apenas dois cordeiros ao passo que as dos Dias Santos requerem várias quantidades de carneiros e touros?


2) O oferenda diária do “Tamid”, também consistia na oferta de dois cordeiros, um de manhã e outro à tarde. Assim sendo, a oferta extra que tem lugar no Shabat (Musaf) é exactamente a mesma que as ofertas diárias. Que significado tem isto?





Estes detalhes, a especificação apenas de cordeiros, as quantidades, e o paralelo com a oferenda diária, dão-nos, de acordo com Abarbanel, uma perspectiva sobre o significado profundo do Shabat.

A palavra em Hebraico para cordeiro é “keves” a qual tem as mesmas letras que a palavra “kovesh”que significa reger. O Shabat comemora a criação e a autoridade Divina sobre o mundo. Uma das crenças centrais no Judaísmo é que a Criação não é apenas um evento que ocorreu num momento singular mas que o envolvimento de D-us no mundo é constante e contínuo.

Para simbolizar isto, a oferenda de Shabat é paralela à oferta de “Tamid” – a oferta continua. 

É por isso é que dois cordeiros são oferecidos. Um para nos lembrar dos seis dias da criação e o outro para nos enfocar no presente, enfatizando que D-us está sempre connosco.



Shabat Shalom!
Cortesia do Rabbi

Eli Rosenfeld
chabadportugal.com


Imagens:

Steve Karro | Blessing-on-the-moon
Menashe Kadishman | keves

Nenhum comentário:

Postar um comentário