quinta-feira, 1 de março de 2012

Moritz Daniel Oppenheim - Pintor






Oppenheim, pintou os humildes, mas foi também pintor dos grandes. Dele se diz que foi o pintor dos Rothschild e o Rothschild dos pintores. Mas a sua grande façanha, foi ter vingado numa sociedade que negava a cidadania aos judeus – havia os alemães e havia os judeus -, e ter permanecido fiel à sua herança judaica.

 Auto retrato do artista ainda jovem
 Moritz Daniel Oppenheim
(1800-1882)




Moritz Daniel Oppenheim, auto-retrato, 1822

     Moritz Daniel Oppenheim foi um pintor e impressor judeu alemão, nascido em 1800 no ghetto de Hannau, na Alemanha, numa família humilde de judeus ortodoxos. Foi o primeiro pintor judeu a ganhar aceitação na sociedade alemã.

     Enquanto que muitos judeus, ao longo dos séculos XVIII e XIX, se converteram ao cristianismo em ordem a serem aceites pela sociedade não judaica, Moritz Daniel Oppenheim permaneceu até ao fim da vida um judeu observante e dedicado aos valores da sua fé, da sua cultura e dos seus, nomeadamente através da divulgação de usos e costumes judaicos.

     Até à emancipação dos judeus na Europa, os artistas judeus estavam confinados aos seus ghettos e proibidos de estudar nas escolas clássicas com os grandes mestres. Moritz Daniel Oppenheim foi o primeiro pintor judeu a receber formação artística clássica, a ganhar projeção e reconhecimento oficial na sociedade não judaica.

     Em 1825 estabeleceu-se em Frankfurt e em 1832, Goethe, a figura máxima da cultura alemã da sua época, recomendou-o ao Grão-Duque Karl Friedrich de Saxe-Weimar e Eisenach, que lhe concedeu o título honorífico de professor. Foi também por intermédio de Goethe que Oppenheim, em 1839, recebeu a encomenda para pintar os retratos do Kaiser Otto IV e de Joseph II. Em 1852, foi-lhe concedida a cidadania de Frankfurt, uma conquista ímpar para um judeu daquele tempo.

      Na sua qualidade de retratista, Oppenheim foi ao longo de vinte anos o pintor da família Rothschild.


Felix Mendelssohn Bartholdy toca para Goethe, 1864


Charlotte von Rothschild e o seu primo Lionel Nathan von Rothschild (retratos de casamento), 1836




O Iluminismo do século XVIII, entre outras coisas, abriu caminho à emancipação dos judeus na Europa – a Haskalah. Neste quadro – “O Regresso do Voluntário” (1833-34), Oppenheim mostra-nos um soldado judeu ferido em combate, que regressa ao seio da família, depois de ter ajudado a Alemanha na guerra contra as forças de Napoleão.


Shavuot (A Festa das Semanas), 1880

Este artigo foi uma trabalho efectuado pela minha amiga Sónia Craveiro, a quem deixo desde já o meu muito obrigada.

Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário