terça-feira, 20 de março de 2012

MOISÉS E A OVELHA





“MOISÉS E A OVELHA”

MIDARSH


     Apascentando no deserto os rebanhos de Jethro, seu sogro, Moisés meditava continuamente na sorte dos seus irmãos no Egito. Não reparou, certo dia, no desaparecimento de uma das suas ovelhas. Quando de tal se apercebeu, correu à sua procura encontrando-a a matar a sede numa nascente. «Pobre criatura, disse ele, foi então por isto que tu fugiste! Se eu soubesse que tu querias beber, eu próprio te teria trazido à nascente.» Tomou nos braços a ovelhinha, cansada do longo percurso e levou-a de novo para o redil.

     O Pai celeste ouviu as palavras de Moisés e observou o seu gesto de misericórdia. O Criador de todos os seres alegrou-se com estes sentimentos tão caritativos de Moisés. Uma voz fez-se, então, ouvir do alto do céu: «Moisés, disse ela, se tu manifestas tanta compaixão por um pequeno animal quanto amor não deve haver no teu coração pelos homens criados à tua semelhança! Tu serás, assim, o pastor do meu povo, Israel. Tu és digno desta missão, porque aquele que se mostra grande nas pequenas coisas será um grande chefe e um mestre entre todos, quando lhe for dado realizar as maiores tarefas.»


Artigo oferecido por Sónia Craveiro. Obrigada por esta belíssima partilha, que apesar de tão simples, nos oferece a oportunidade de repensarmos a nossa atitude no nosso dia-a-dia, para com o nosso semelhante e para com os seres vivos em geral...
...nos dias de hoje.

in, CONTOS E LENDAS DE ISRAEL, A. Weil, editora Família 2000

Nenhum comentário:

Postar um comentário