sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Cartas de Lisboa | Lech Lecha




Lech Lecha



A história do povo judeu começa com a nossa Parsha Lech Lecha. Entre as muitas conversas entre D-us e Abraão, reside o curso do futuro do nosso património como povo.


Numa dessas conversas, o verso começa com a seguinte introdução:

"Depois destes acontecimentos, a palavra de D-us chegou a Abraão numa visão." 
(Bereishit 15: 1)


No Tzror Hamor, o rabino Avraham Saba, questiona a escolha das palavras neste verso. "Porque é que neste caso a conversa é descrita como uma visão, algo que não encontramos  noutros diálogos?"

Diz, o Tzror Hamor, que para a palavra "visão", em hebraico, "Machaze," conota uma forma menos elevada de revelação. Em vez de uma profecia ou comunicação expansiva, a "visão" no nosso versículo é mais suave do que as outras interacções.




A razão para este facto, explica ele, é que é esta a conversa, onde também D-us transmite a Abraão os Seus planos para o exílio dos seus descendentes.

Embora parte de um plano mais geral para o povo judeu, a situação é semelhante à de um pai magoado pelo facto das condições dos seus filhos não serem como deveriam ser.

Na verdade, de acordo com o Tzror Hamor, esta é também uma garantia de D-us para Abraão: "Não temas ... Eu sou um escudo para ti"




Enquanto outros comentaristas se esforçam para entender qual é o medo que aqui está a ser dissipado (Abraão estava então no auge de seu sucesso militar), o Tzror Hamor entende isto como uma referência ao povo judeu no futuro.


A mensagem de D-us para Abraão, é então, tal como para nós e agora:

"Não temas ... Eu sou um escudo para ti."

D-us está connosco, muito consciente das nossas condições, onde quer que estejamos.


Shabat Shalom!
Cortesia do Rabino


Eli Rosenfeld
chabadportugal.com



Imagens:

Albert Eckout - Pintor e botânico holandês (1610-1665)
Promessa de Deus a Abraão (xilogravura de Julius Schnorr von Carolsfeld de 1860 Bíblia em imagens)

Nenhum comentário:

Postar um comentário