sábado, 13 de abril de 2013

Um golpe na Inquisição!


O dia de hoje na história judaica:


Gracia Nasi e o embargo a Ancona, Itália.


Antigo mapa de Ancona



Após a Expulsão Portuguesa em 1496, muitos judeus que preferiram continuar em Portugal tornaram-se “Marranos”, identificando-se abertamente como Cristãos, enquanto em segredo mantinham as suas crenças e tradições judaicas.

Muitos acabaram por emigrar para outros países, onde mais uma vez professaram abertamente a sua lealdade ao Judaísmo. Porém como tinham sido baptizados, a sua situação, era muitas vezes perigosa. A 3 de Iyar de 1556, por ordem do Papa Paulo IV, 25 destes maranos foram queimados em praça pública em Ancona, Itália.



Gracia Nasi foi uma mulher rica e influente; ela própria uma marrana portuguesa que se mudou para o Império Otomano. No seu passado também ela tinha sido vítima de perseguição por causa desse mesmo status. 






Ao ser informada que seus correligionários tinham sido queimados, ela organizou um boicote financeiro contra o Porto de Ancona. Conclamou todos os judeus a fazerem comércios nos portos vizinhos, e desta forma arruinou financeiramente Ancona.







Seu embargo comercial teve sucesso durante alguns meses, sendo considerado como uma das primeiras vezes em que os judeus deram um golpe na Inquisição.



Fontes: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário