domingo, 15 de março de 2015

Curiosidades Judaicas | No Conselho de Almeida





Malhada Sorda


Freguesia portuguesa na região da Beira, concelho de Almeida, 
com cerca de 300 habitantes.



O legado da presença judaica na localidade 
de Malhada Sorda é dos mais importantes no concelho de Almeida.


Na Judiaria de Malhada Sorda foram identificadas, espalhadas por toda a aldeia, mais de 38 casas com cruciformes judaicos. Estas marcas cruciformes, normalmente gravadas em cambas de portas e imóveis de traça ou raiz quinhentista, são um testemunho dessa época, relacionado com a presença de uma comunidade judaica e de cristãos novos.


Uma das casas com cruciforme judaico


Relativamente ao património judaico, em Malhada Sorda existe a "Esnoga", pequena sinagoga secreta, que terá existido nesta freguesia. Este edifício em estado de ruínas, conhecido como Casa do Relógio, é uma casa normal de aldeia, com a particularidade de ter uma janela manuelina, um relógio de sol e um armário sagrado para a prática do culto judaico.



Uma das casas com cruciforme judaico Antiga Sinagoga, “Esnoga”,
também conhecida como Casa do Relógio



Armário Sagrado – “Aron Hacodesh”


Em fevereiro de 2014 a Junta de Freguesia, depois de ter adquirido a Esnoga há dois anos atrás, manifestou o seu empenhamento para recuperar e valorizar a antiga Sinagoga, bem como o património judaico na localidade com o objetivo de integrar o roteiro português de turismo judaico.

A obra de recuperação da sinagoga, avaliada em 100 mil euros, será apoiada pela Câmara Municipal de Almeida e pela Rede de Judiarias de Portugal. As obras de recuperação não visam a criação de um Museu Judaico ou de uma Sinagoga, mas um local para as pessoas terem uma ideia de como seria o espaço onde antigamente era praticado o culto judaico.





Fontes:

Por Caeiro


Ler mais sobre a recuperação da Esnoga, no link abaixo:


2 comentários:

  1. Amo História judaica. Nosso Brasil (BRZL) tem seu nome derivado dos judeus

    ResponderExcluir
  2. Shalom Ester, obrigada pelo seu comentário.

    ResponderExcluir