sexta-feira, 16 de maio de 2014

Cartas de Lisboa | Bechukotai



Pirkei Avot Capitulo 4


"Quem é forte? Aquele que tem controlo sobre as suas propensões." (Pirquei Avot 4:1)


Dom Abarbanel começa a sua análise desta frase definindo exactamente o que é que torna uma pessoa num guerreiro.
Força física só por si não assegura o sucesso militar. O que conta é a capacidade de nos mantermos focados no objectivo e equilibrados na nossa resposta a ambientes que podem ser esmagadores e cheios de potenciais surpresas.




Com isto em mente, Dom Abarbanel poe em contraste o guerreiro de acordo com o nosso estereótipo e a redefinição de pessoa de força como o nosso Mishná nos apresenta.

Ainda que não menosprezando as dificuldades intrínsecas de uma batalha, o ter um oponente, diz Dom Abarbanel, ajuda a captar as forças das muitas partes do corpo, trazendo-as para um estado de sintonia.

O nosso combatente, contudo, faz face a uma batalha interna. Ele não pode depender das condições da batalha para criar essa frente unida. Isto porque o seu inimigo é interno.



As supressas e as armadilhas que confrontam este guerreiro vêm todas de dentro.


Mais ainda diz Dom Abarbanel, os sentimentos e as emoções naturais podem estar a ser dominadas pelas “forças inimigas”. Executar as acções e estratégias correctas requer muitas vezes circunscrever os nossos instintos básicos.

Por isso, diz Dom Abarbanel, as palavras do nosso Mishná não são nem poéticas nem alegóricas.

Uma pessoa que sempre faz o que é correcto, sobrepondo-se às suas contradições internas, é verdadeiramente uma pessoa forte.


Shabat Shalom!
Cortesia do Rabino
Eli Rosenfeld
chabadportugal.com



Imagens:

1ª e 2ª – Ilustrações de Holman Bible (1890)
3ª– Pintura de Alfred Lakos

Nenhum comentário:

Postar um comentário