segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Uma Canção Sefardita




LA ROSA ENFLORECE

OU LOS BILBILICOS CANTAN


Dançando, Miscelânea Rothschild, Itália, séc. XIV



   Este pequeno artigo mais não é do que um modesto apontamento sobre uma das cantigas mais bonitas do riquíssimo Cancioneiro Sefardita - La Rosa Enflorece (A Rosa Floresce), também conhecida como Los Bilbilicos Cantan (Os Rouxinóis Cantam).






   Esta cantiga de origem medieval, em estilo andaluz e composta a partir de um tetracorde denominado Al-Hijaz (nome de uma região da Península Arábica), canta a rosa, uma flor que simboliza a paixão, a nostalgia de um amor longínquo, e diz assim:



La rosa enfloresce en el mez de Mayo/mi alma s’escurece, sufriendo de amor.

Los bilbilicos cantan, sospiran de amor.

Y la pasion me mata, muchigua mi dolor.

Mas presto ven palomba, mas presto ven a mi/mas presto tu mi alma, que yo me vo morir.

La rosa enfloresce en el mez de Mayo/mi alma s’escurece, sufriendo de amor.



Vamos ouvi-la numa interpretação lindíssima, pela cantora Samantha Balzani.



Sephardic Romance - La Rosa Enflorece






O SÍMBOLO DA ROSA NA IDADE MÉDIA



Cântico dos Cânticos, um menestrel toca para
Salomão, Rothschild Mahzor, séc. XV



   Na riquíssima simbologia medieval, a Rosa tem um papel de primeiro plano. Os seus significados podem ser esotéricos ou populares, religiosos ou literários e interpretados consoante a forma, a cor, o perfume, o número de pétalas ou a presença de espinhos. Na tradição hebraica, a Rosa exprime a espiritualidade de Israel, lugar da presença Divina no mundo, como a Rosa de Sharon no “Cântico dos Cânticos”:


2 1Eu sou a rosa de Sharon, o lírio dos vales!2 (D’us) Como o lírio entre os espinhos, assim é a Minha amiga entre as filhas! (Israel)



Rosácea da Catedral de Chartres, séc. XIII


   A Cristandade vê na forma circular da Rosa e na disposição das suas pétalas, a representação de uma ideia de perfeição e de infinito. Numa das Cantigas de Santa Maria, de Afonso X, o Sábio (séc. XIII), a Virgem Maria é invocada como “Rosa das Rosas”.



Rosas das rosas e Fror das frores,
Dona das donas, Sennor das sennores.




Rosas das rosas e Fror das frores,
Dona das donas, Sennor das sennores.



   A iconografia mostra-nos uma flor amada, representada na pureza celestial e humana perfeição da Virgem Maria, no amor cortês, ou como recurso da higiene e da medicina (com as suas pétalas purificava-se o ar e desinfectava-se o vestuário).




O Amor, Códice Manesse,
meados de séc. XIV



Bel accueil, Le Roman de la
Rose, Bruges, c. 1490



A Rosa, Tacuinum Sanitatis,
Viena, séc. XIV



Maomé visita o Paraíso, Miraj Nama,
Pérsia, séc. XV


   O Islão também contribuiu para a elevação mística da Rosa; para os muçulmanos o Jardim das Rosas simbolizava o jardim da contemplação…”Rosa prenhe do seu perfume, o segredo de tudo”. Por volta do ano mil, um poeta persa recitava: “Se tiveres duas moedas, com uma compra pão, com a outra compra uma rosa para o teu espírito”.



Abençoando as velas de Shabat,
Minhagim, Amsterdam, 1707



   Mais recentemente, La Flor Enflorece emprestou a sua melodia a uma oração – Tzur Mishelo. Tzur Mishelo é uma oração habitualmente cantada em Shabat, como introdução à oração de graças recitada após as refeições (Birkat HaMazzon), na maioria das comunidades judaicas. Pensa-se que esta oração (Piyut) foi escrita no Norte de França, na segunda metade do século XIV. É com ela que terminamos este artigo, que esperamos seja do vosso agrado.



Tzur mishelo akhalnu/barechu emunai

Savanu vehotarenu/kidvar Adonai

(…)

O Senhor, nossa rocha/cuja comida comemos

Vamos oferecer-Lhe a nossa bênção

(…)



SHABBAT SONG - TZUR MISHELO ACHALNU,

RABBI HAGAY BATZRI






Este artigo encantador foi uma oferta 
da nossa querida amiga,
 Sónia Craveiro 

Muito obrigada 


Fontes:

http://www.larici.it/architettura-ambiente/storia/rosa/rosa01.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Birkat_Hamazon
http://www.bj.org/spiritual-life/music-of-bj/invitation-to-piyut-na/tzur-mishelo/
Sephardic Romance - La Rosa Enflorece
SHABBAT SONG - TZUR MISHELO ACHALNU, RABBI HAGAY BATZRI
https://www.youtube.com/watch?v=KQCQfbjc7xE
http://www.youtube.com/watch?v=W9cn1pytmYI
http://www.zombietime.com/mohammed_image_archive/islamic_mo_full/
http://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/loc/Glimpse.html




Nenhum comentário:

Postar um comentário