sexta-feira, 22 de maio de 2015

Cartas de Lisboa | Números




Bamidbar – Shavuot


Michal Meron Painting | Bamidbar




O Livro de Números, o Sefer Bamidbar, que começa com um censo detalhado do povo Judeu, deixa-nos em última análise, com um enigma numérico.

Embora os números das diferentes tribos variem muito, há uma tribo que se destaca, a tribo de Levi.



Ao analisar as contagens finais, parece que a tribo de Levi tem menos da metade do tamanho da população de qualquer das outras tribos!



 
"Por que é que a tribo de Levi, que foi escolhida para responsabilidades e distinções únicas, é tão mais pequena do que o resto da nação?"

Chagall Lithograph Signed, The Tribe of Levi, 1964




O Rambam (Nachmánides) liga a disparidade populacional a um crescimento milagroso que foi vivido durante a escravidão no Egipto. Com as dificuldades e o sofrimento a piorarem, a população escravizada milagrosamente aumentou exponencialmente.



Nachmánides


A tribo de Levi no entanto, não foi afectada por essas ocorrências negativas. A nossa tradição diz-nos que eles não foram escravizados, o que deixaria então os seus números na população total em estado de estagnação.

O estudo da Torá tem muitos níveis de interpretação. Porém, por mais que esta resposta possa parecer satisfatória, Dom Abarbanel não a aceita como interpretação literal, a nível de "prshat," (a simples e superficial leitura dos textos.)

A chave para o sentido dos números, escreve ele, está em ter uma melhor compreensão das pessoas que estão sendo contadas.

Uma das tarefas fundamentais do povo Judeu, era assegurar a criação da Terra de Israel. Todo o país foi dividido, dado a cada família, para desenvolver e assegurar o seu crescimento.

À tribo de Levi, por outro lado, não foi dada qualquer terra, já que o seu trabalho era garantir o desenvolvimento espiritual do povo.




Esta, diz Dom Abarbanel, é a resposta à nossa pergunta.






Os números da tribo de Levi reflectiam perfeitamente a visão de D-us com eles, na Terra de Israel. A sua posição e responsabilidades podiam ser cumpridas com os seus números naturais.

O resto da nação, que tinham sido incumbidos de desenvolver o país para torná-lo materialmente florescente e próspero foram abençoados com ajuda extra para poder cumprir com a sua responsabilidade.

O que se retira da análise de Dom Abarbanel, (que é na sua opinião a interpretação mais básica e literal do texto,) é que quando D-us abençoa uma família com crianças, a bênção é perfeitamente calibrada às necessidades e sustento futuro dessas crianças.

Uma criança nascida é assim uma criança dada a uma família com a capacidade e a bênção de D-us para apoiar e sustentar essa criança.



Shabat Shalom!
Cortesia do Rabino

Eli Rosenfeld
chabadportugal.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário