terça-feira, 22 de março de 2016

A Festa de Púrim





Purim Sameach!


Pintura da Rainha Ester por Francois Leon Benouville




Purim (פּוּרִים, plural de פּוּר pûr, "sorteio" em hebraico, do acadiano pūru) é uma festa judaica que comemora a salvação dos judeus persas do plano de Hamã para exterminá-los no antigo Império Aqueménida tal como está escrito no Livro de Ester, um dos livros do Tanach. 




Os judeus estavam exilados na Babilónia, desde a destruição do Templo de Salomão pelos babilónios e da dispersão do Reino de Judá. A Babilónia, por sua vez foi conquistada pela Pérsia. 


O nome "Purim" vem da palavra hebraica "pur", que significa "sorteio". Este era o método usado por Haman, o primeiro-ministro do Rei Achashverosh da Pérsia, para escolher a data na qual ele pretendia massacrar os judeus do país.


Os eventos que levaram ao Purim foram registados na Meguilat Ester (Livro de Ester), que se tornou um dos 24 livros do Tanach para ser canonizado pelos Sábios da Grande Assembleia. O Livro de Ester regista uma série de eventos aparentemente não relacionados que aconteceram num período de mais de nove anos durante o reinado do Rei Assuero. Esses eventos coincidentes, quando vistos juntos, devem ser vistos como evidência de intervenção divina, de acordo com interpretações em comentários Talmúdicos e outros sobre a Meguilá.



Meguilat Ester


Purim é celebrado, anualmente, no 14º dia do mês de Adar, que é o décimo segundo mês (nalguns anos, também o décimo terceiro mês) do calendário judaico, e que assinala o dia seguinte à vitória dos judeus sobre os seus inimigos (ocorrido no 13º dia do mês de Adar, que foi o dia escolhido, por Haman para a destruição de todos os judeus do Império Persa). Nas cidades que eram muradas, no tempo de Josué, incluindo Susa e Jerusalém, Purim é celebrado no 15º dia de Adar, conhecido como Purim Shushan. Tal como em todas as festas judaicas o Purim tem início no pôr-do-sol da véspera do dia do calendário comum.




Pintura do banquete de Ester por Jan Victors


A festa de Purim é caracterizada pela recitação pública do Livro de Ester por duas vezes, distribuição de comida e dinheiro aos pobres, presentes e consumo de vinho durante refeição da celebração (Ester 9:22); outros costumes incluem o uso de máscaras, fantasias e comemoração pública.



Pintura de Elena Flerova


Assim como Chanucá, Purim tem um caráter mais nacional que religioso, e o seu status como feriado tem um nível inferior aos feriados sagrados na Torá. Por este motivo as transações comerciais e o mesmo trabalho manual são permitidos em Purim, apesar que em certos lugares foram impostas restrições sobre o trabalho (Shulchan Aruch, Orach Chaim, 696).


Uma prece especial ("Al ha-Nissim"—"Pelos Milagres") é inserida na Amidá durante o serviço da noite, manhã e tarde, assim como é incluída no Birkat Hamazon ("Bênção após as Refeições").



Pintura de Esther e Mordechai escrevendo a primeira carta 
do Purim por Aert de Gelder


As quatro principais mitzvot do dia são:


1. Ouvir à leitura pública, geralmente na sinagoga, do Livro de Ester de noite e novamente na manhã seguinte (kriat meguilá)

2. Mandar presentes de comida para amigos (mishloach manot)

3. Dar caridade aos pobres (matanot le'evionim)

4. Comer uma refeição festiva (seudá)


Deixo-vos com um vídeo da celebração do Purim em Tel Aviv no ano de 1932




Enviado por Rabbi Jules Harlow



Fontes:

By Nick Taylor - originally posted to Flickr as Tomb of Esther and Mordechai, CC BY 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=4583391
http://www.chiourim.com/f%C3%AAtes/pourim

Nenhum comentário:

Postar um comentário