sexta-feira, 24 de julho de 2015

Árvore das Lágrimas | Cartas de Lisboa





Devarim - Tisha B'av
B”H




Árvore das Lágrimas


O dia Nove do mês de Av marca o aniversário da destruição do Templo em Jerusalém.


Embora seja um momento de luto e tristeza, é também um momento de resiliência. Um momento em que nos lembramos do nosso passado e olhamos para a frente para um futuro radioso.


O livro de Echá (Lamentações) descreve-nos Jerusalém em perigo mas termina com um apelo à ação - ao retorno e à reunião do Povo Judeu com D-us.


Este tem sido o padrão de resiliência seguido pelo Povo Judeu ao longo da nossa história. Numa peça escrita de grande poder e com enorme carga emocional, o Rabino Abrão Sabá conta-nos a sua "destruição" pessoal em Portugal.


"Por decreto real, a minha biblioteca no Porto foi confiscada ... arriscando a minha vida mantive comigo um manuscrito, o meu comentário à Torá ... o meu bem mais precioso.


Ao chegar a Lisboa, - que seja reconstruída rapidamente e nos nossos dias – espalharam-se aterrorizantes notícias. Quem pegasse em textos judaicos ou objetos religiosos seria morto.


Fora de Lisboa, juntamente com dois companheiros Judeus, cavámos um buraco. E debaixo de uma oliveira eu enterrei o trabalho da minha vida.



Era uma linda oliveira, salvaguardando as minhas ideias e pensamentos sobre a Torá. Para mim, era uma árvore de lágrimas."



Depois de ter sofrido o rapto e a prisão dos seus filhos, o Rabino Sabá chegou eventualmente á segurança em Marrocos.


"Lá eu decidi reescrever de memória o meu comentário da Torá. Para ser capaz de compartilhar o que havia sido perdido, e para restaurar a coroa à sua antiga glória."


O Rabino Sabá não desistiu. Depois de tudo o que tinha sofrido, ele começou mais uma vez a registar os seus ensinamentos da Torá para compartilhar com todos nós.


No entanto, às vezes, na reconstrução do seu comentário, ele escreve: "Eu tinha uma bela explicação para esta passagem difícil, mas não me lembro o que era ..." Muitos dos seus preciosos ensinamentos permaneceram escondidos debaixo de uma oliveira em Portugal.


Aqui em Portugal, ao lermos as palavras do Rabino Sabá e ao sermos inspirados pela sua sabedoria, temos também a esperança de poder transformar a árvore de lágrimas numa árvore de alegria.



Shabat Shalom!

Cortesia de Rabino
Eli Rosenfeld
chabadportugal.com







Fontes das imagens:

https://en.wikipedia.org/wiki/Devarim_(parsha)
http://gigantesdafloresta.blogspot.pt/2011/11/oliveira-milenar.html
http://www.artsandactivities.com/AA0414.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário